Inscreva-se na minha newsletter

Receba novidades semanalmente!

Popular Topics

Visita à Bodega Escorihuela Gascón

January 28, 2019 3 min read 2 Comments

Quando chegamos em Mendoza, eu já tinha planejado a visita das vinícolas de Maipú e Luján de Cuyo. Eu confesso que não tive muito tempo de pesquisar as bodegas que ficam próximas do centro da cidade e conversando com o motorista do Uber que nos pegou no aeroporto, surgiu essa recomendação.

Eu não tinha dimensão da quantidade de vinícolas que existem na região, são mais de 1800! É muito difícil conhecer todas, e eu nunca tinha escutado falar da Escorihuela por aqui. Porém, a bodega existe há mais de 130 anos e tem um enorme prestígio na Argentina – é a bodega Mendoncina mais antiga que ainda se mantém em atividade. Grande parte do processo é todo manual e seus vinhos são reconhecidos como premium pelo alto nível de qualidade. No local também tem um restaurante bem famoso que abre para o jantar e, apesar de ter agendado, acabei não visitando dessa vez. A visita guiada começou pontualmente no horário marcado e nossa guia foi super simpática e, como nosso grupo era bem pequeno, foi bem tranquilo pra entender e tirar eventuais dúvidas.


Começamos pelo prédio onde acontece o engarrafamento, rotulação e alguns outros processos. É interessante ver que mesmo com todos os avanços, uma boa parte da produção ainda é manual sob a justificativa de manter o padrão de qualidade. Uma parte dos prédios também mantém a estrutura original – em 2008 ocorreu um incêndio no local e alguns prédios foram refeitos.

O local é todo muito bonito, bem cuidado e repleto de objetos históricos, como esses veículos que eram utilizados para escoar a produção – tipo o antigo carro do leite, sabe aquela coisa de vó no interior? Eu acho que já mencionei isso no meu primeiro post sobre a viagem, mas Mendoza no verão é extremamente quente e nesse dia estava tranquilamente uns 35ºC e eu quase peguei uma insolação.  Minha recomendação é ir no fim do verão, começo do outono – próximo a época de colheita – porque você vai andar bastante ao ar livre.

O ápice da visita é se deparar com esse tonel de madeira todo esculpido, encomendado da França pelo próprio Don Miguel Escorihuela Gascón em 1901, em homenagem ao centenário da independência argentina. Confesso que eu fiquei uns bons minutos embasbacada só observando os detalhes. Inclusive, extremamente arrependida que não levei minha câmera pra essa visita – então desculpem as fotos de celular porque é o que tem. Vou poupar vocês da foto ridícula que tirei embaixo do tonel fingindo que estava bebendo vinho, 2019 mal começou e eu já passei muita vergonha. Risos.

Ao final, retornamos à sala de degustações que fica na entrada da bodega e lá pudemos optar pelo tipo de degustação que queríamos. A opção de entrada é a de Varietales (R$40 reais, aproximadamente – 400 pesos/pessoa), espumantes (R$ 45 – 450 pesos/pessoa) e a Pequeñas Producciones (R$55 reais – 550 pesos/pessoa). Você tem a opção de não degustar e pagar apenas a visita, mas honestamente não compensa. Nós optamos pelos vinhos Pequeñas Producciones e de quebra veio essa tábua de queijos e mix de snacks.

Os vinhos são muito bons e realmente tem um excelente custo benefício perto de outras vinícolas que visitamos. Que me desculpe o Malbec, mas meu favorito dessa degustação foi o Cabernet Sauvignon. Aliás, eu fiquei muito impressionada com a qualidade do Cabernet Sauvignon argentino, muito mesmo.

Se você for realizar compra de vinhos após a degustação, você tem desconto de 20% no valor total da compra. Pra terminar esse post vou deixar uma curiosidade: a família Catena hoje é dona de inúmeras bodegas na região e o presidente da Escorihuela Gascón é o Ernesto Catena, filho de Nicolás Catena (dono da Catena Zapata), que é responsável pela bodega Tikal – dona de um rótulo bem conhecido e conceituado por aqui, o Alma Negra.

2 Comments

  • BA MORETTI February 4, 2019 at 3:40 PM

    entre malbec e cabernet sauvignon eu também fico com o 2o ♥ HAHA e ir numa vinícola é algo que entrou pra minha listinha de curiosidade depois que comecei a tomar vinho seco e afins 🙂

    • Patty February 9, 2019 at 1:03 PM

      bazinha,
      cê tem bom gosto, ahhahahaha. o cabernet é um vinho mais encorpado e geralmente muita gente vira a cara pra ele por preferir coisas mais leves. aproveita que aí no sul tem umas vinícolas topzera e planeja uma aventura! eu e meus pais estamos pensando em incluir algumas esse ano na nossa lista!
      aí em sc (tu mora em sc, né? hahaha aloka da memoria ruim) tem uma bem topster que chama villa francioni que tem um vinho rosé incrível e super famoso (até madonna se apaixonou quando veio no br).

      beijocas

    Leave a Reply to BA MORETTI Cancel Reply

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

    Aquariana da terra da garoa. Amo escrever sobre beleza e ajudar outras mulheres a desbravarem esse universo. Compartilho um pouco das coisas que gosto por aqui porque me faz feliz. Tenho um fraco por conhecer esse mundão louco em que vivemos e não dispenso uma boa aventura.

    + euzinha

    Redes sociais

    Inscreva-se na minha newsletter ♡

    Receba novidades semanalmente!

    faça stories incríveis!

    Posts recentes

    FACEBOOK

    R$130 OFF na 1ª viagem

    COMPRE NA AMAZON

    Categorias

    Instagram

    Instagram has returned invalid data.

    Siga @patriciasilvaneto

    ×